Espaço Cultural do Carnaval fecha durante a fase vermelha da quarentena

Imagem: Liga SP

Regras do Plano São Paulo permitem apenas serviços essenciais até o dia 19 de março.

Por: A Passarela é de Vocês

Em: 4 de março de 2021

São Paulo vive o pior momento desde o início da pandemia de covid-19, declarada pela Organização Mundial da Saúde em 13 de março de 2020. Com a crescente internação nos hospitais públicos e privados,  o Estado regride para a fase vermelha do Plano São Paulo a partir da meia-noite deste sábado (6). Com isso, o Espaço Cultural do Carnaval, na Arena de Lazer Sambódromo do Anhembi, não abrirá no sábado (6) e permanecerá fechado pelas próximas duas semanas.

A ocupação de UTIs é um dos fatores levados em conta para definir as regras da quarentena. A última vez que a capital esteve na fase vermelha foi entre maio e junho de 2020, quando a pandemia atingia o pico no Brasil. Nesta segunda onda, registra-se uma internação por covid-19 a cada dois minutos no estado de São Paulo. Em todas as regiões paulistas, hospitais públicos e particulares estão próximos de atingir sua capacidade de lotação. De acordo com o governador João Doria, São Paulo deve permanecer na fase vermelha pelo menos até o dia 19 de março, sexta-feira.

A fase vermelha do Plano São Paulo é a fase de alerta máximo. Podem funcionar apenas os serviços essenciais como supermercados, farmácias, padarias (sem consumo no local), escolas e restaurantes (apenas para entregas). Para a medida que passa a valer à meia-noite do sábado (6), acrescenta-se também o toque de recolher, para restringir a circulação e evitar aglomerações, entre 20h e 5h, todos os dias.

O Espaço Cultural do Carnaval

Quatro meses após a inauguração, o Espaço Cultural do Carnaval bateu a marca de mais de 10 mil visitas. Além das exposições fixas nos dois espaços — como as fantasias usadas durante o Carnaval SP 2020, maquetes das alegorias que a Águia de Ouro levou para a Avenida, quando se consagrou campeã pela primeira vez, os pavilhões das 34 escolas de samba filiadas à Liga-SP e os painéis informativos — e das exposições temporárias — como os calçados usados por passistas nos últimos 30 anos —, teve muita cultura e conhecimento acessível para os frequentantes. Foram 42 intervenções artísticas, entre apresentações musicais, performances de baterias e alas coreografadas, aulas de samba, apresentações de dança e oficinas de mestre-sala e porta-bandeira, além de oito palestras ministradas.

Fonte: https://ligasp.com.br/espaco-cultural-do-carnaval-fecha-durante-a-fase-vermelha/