Aumenta o número de ocorrências de pipas em linhas de transmissão durante a pandemmia

Entre março de 2020 e fevereiro de 2021, foram registrados 13 desligamentos em linhas de alta tensão da distribuidora

24 de maio de 2021

A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de energia elétrica que atua em 24 municípios da Grande São Paulo, alerta a população sobre o aumento do número de ocorrências com pipas nas linhas de transmissão durante pandemia, instalações estas que levam energia para subestações que abastecem bairros ou até cidades inteiras. Um levantamento realizado pela companhia registrou 13 ocorrências desta natureza entre março de 2020 e fevereiro de 2021. A título de comparação, a concessionária registrou quatro casos de interrupção por pipas em linhas de transmissão em 2018 e cinco ocorrências em 2019.

Quando o assunto não é levado em consideração, a brincadeira de empinar pode provocar acidentes graves e, em algumas circunstâncias até fatais, além de ocasionar danos à rede elétrica, prejudicando diretamente o fornecimento de energia para milhares de clientes. Os dados apurados pela companhia apontam que o maior número de casos ocorreu entre os meses de março e junho do ano passado, período que coincidiu com o aumento do isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus e que a população passou mais tempo em casa.

O contato de objetos com a rede de alta tensão pode provocar o desligamento das linhas de transmissão. Pela importância que exercem no sistema elétrico, já que transportam grandes volumes de energia e atendem a milhares de consumidores, estes ativos são equipados com dispositivos de proteção, que são capazes de identificar comportamentos anormais no sistema e atuam para garantir a integridade dos ativos e a segurança da população.

Quando ocorre o desligamento de uma linha de transmissão, é necessário que equipes de campo percorram todo o trecho para identificar as causas da ocorrência e, só após eventuais reparos, é possível realizar o religamento para normalizar a operação do sistema. A depender do dano na rede de transmissão, esse tempo de restabelecimento pode ser mais longo, impactando o fornecimento de energia para os clientes do entorno.

Nos últimos meses, a companhia vem registrando ocorrências desta natureza na cidade de São Paulo, São Bernardo do Campo e Embu das Artes. “As interrupções de energia, mesmo de curta duração, geram grandes transtornos aos clientes, impactando a atividade comercial e o dia da das pessoas. Neste sentido, é importante reforçar os riscos de se empinar pipa próximo das linhas de transmissão de alta tensão e a necessidade de os pais orientarem as crianças e os adolescentes sobre os cuidados necessários”, explica a responsável pela área de Infraestrutura & Rede da Enel Distribuição São Paulo, Rosario Zaccaria.

A interrupção do fornecimento de energia causada por pipas pode ocorrer por diversas razões. Além do risco de rompimento dos cabos, as linhas que ficam enroscadas nas redes elétricas provocam desgaste na fiação, podendo ocasionar curtos-circuitos e derretimento. Nesses casos, equipes da distribuidora são mobilizadas imediatamente para realizar os reparos necessários e substituir a fiação e restabelecer o serviço o mais breve possível.

Confira 10 dicas para garantir que a brincadeira ocorra de forma saudável e com segurança.

  1. Nunca tente recuperar itens que estejam pendurados na rede elétrica. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede;
  2. Soltar pipas perto da rede elétrica é extremamente perigoso, sob risco da linha ou da pipa enroscar nos fios, ocasionando descarga elétrica. O mais indicado é empinar pipas em espaços abertos e afastados das fiações, como parques e campos de futebol;
  3. Materiais metálicos, como o alumínio, não devem ser usados na fabricação da pipa, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, com risco de morte;
  4. Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;
  5. Não é indicado soltar pipas na chuva. Ela funciona como para-raios, conduzindo energia e podendo provocar acidentes;
  6. Caso a pipa enrosque em postes ou antenas, oriente os praticantes a não arremessar objetos nos fios e não tentar resgatá-los;
  7. O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta os fios de alumínio ou de cobre, o que pode levar a choques por rompimentos de cabos;
  8. O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores;
  9. É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira;
  10. Ao empinar pipa, tenha cuidado com o fluxo de ciclistas e motociclistas no local. Em alta velocidade, as linhas podem não ser vistas e, com isso, podem causar graves acidentes, sobretudo se tiverem cerol ou linha chilena.

Além das pipas, é preciso redobrar a atenção com os balões. Eles respondem por muitos acidentes na rede elétrica, já que podem cair acesos em linhas de transmissão, florestas, residências, indústrias e até oferecer perigo à aviação. Além disso, a prática de soltar, fabricar, vender e transportar balão é considerada crime.

Em caso de acidente envolvendo a rede elétrica:

  1. O local deve ser isolado para que não haja a aproximação de outras pessoas;
  2. Não se deve retirar objetos ou pessoas que estejam em contato com fios da rede elétrica até que um profissional qualificado assegure que a energia foi desenergizada;
  3. Acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193, e a Enel Distribuição São Paulo, pelo 0800 7272 196.

Fonte: Enel