Dia Mundial da Saúde Bucal: Como a higiene dentária reflete em todo o organismo

Segundo estudos da ACFF, cerca de 100% dos adultos, do mundo, já experimentou pelo menos um episódio de cárie dentária.

Comemorado em 20 de março, o Dia Mundial da Saúde Bucal foi instituído pela Federação Dentária Internacional (FDI), com o objetivo de conscientizar a respeito do tema, com ações para diminuir os índices de cáries, doenças periodontais e de perda dos dentes. O ​​professor titular da disciplina de Periodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, Giuseppe A. Romito, enfatiza que é um dia para focar na saúde bucal, mas sempre lembrar que os cuidados dentários refletem na interação com todo o organismo.

A pesquisa da Aliança para um Futuro Livre da Cárie (ACFF) revela que, globalmente, cerca de 100% dos adultos têm ou já tiveram cárie dentária. Além disso, mais de 600 milhões de crianças no mundo (60-90%) são afetadas por esta doença. A segunda mais prevalente na cavidade bucal é a doença periodontal, que trata-se de um processo inflamatório causado por um desequilíbrio bacteriano que leva a destruição do aparato de suporte dos dentes. Giuseppe alerta que este processo inflamatório não fica contido apenas na cavidade bucal, mas pode influenciar negativamente em outros órgãos, como por exemplo, gerar problemas cardíacos, pulmonares, renais e, na diabete, dificultar o controle glicêmico.

Limpeza Dental

“A profilaxia (limpeza) dental é o procedimento mais básico na odontologia, sendo fundamental na manutenção dos dentes. O cirurgião-dentista precisa explicar ao paciente quais são os cuidados necessários, principalmente os caseiros, identificar os problemas e prevenir de maneira adequada as doenças bucais”, afirma o periodontista Giuseppe.

Não há um padrão específico para realizar o procedimento de profilaxia, Giuseppe ressalta que o conceito mais antigo, ida uma ou duas vezes por ano ao dentista, já caiu, pois o processo é determinado por condições que envolvem características próprias de cada paciente. “Ou seja, uma pessoa jovem e saudável, talvez, precise ir uma ou duas vezes por ano ao consultório, mas uma pessoa com mais idade e menos habilidade para realizar os cuidados adequadamente, pode precisar ir a cada 3 ou 4 meses, depende de cada caso. Enfatizo que todos precisam fazer uma profilaxia profissional de rotina com o cirurgião-dentista”, relata o periodontista.

Além de ir ao consultório odontológico, os cuidados em casa são fundamentais para manter a higiene bucal. É importante utilizar uma escova dental com o cabo de boa empunhadura, recomenda-se o uso de cerdas macias e todas da mesma altura. Os enxaguatórios são favoráveis para a manter a saúde bucal, porém, não resolvem infecções e não substituem a escova ou o fio dental. Os produtos que possuem flúor são essenciais para controlar a cárie.

“Os cuidados em casa são absolutamente simples, a escovação e a limpeza entre os dentes bem feitas, por meio das escovas e o uso do fio dental ou escovas interdentais, já são suficientes para controlar a formação da placa bacteriana, que, quando em excesso, rompe o equilíbrio do organismo e leva a doença”, orienta Giuseppe.

Fonte: KR2 Comunicação