Hospital Dia Mooca recebe a 15ª miniusina de oxigênio entregue na capital

Equipamento consegue manter 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), produzindo 15 litros de oxigênio por minuto para cada paciente

DO1 Saúde | 3 de junho de 2021


Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (3), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) entrega uma nova miniusina de oxigênio em São Paulo. Com essa unidade, que será implantada no Hospital Dia da Rede Hora Certa Mooca, localizado na Zona Leste da cidade, a capital chega a 15 unidades geradoras entregues.

Nos próximos dias, o município totalizará o recebimento dos 19 equipamentos adquiridos pela SMS. Juntos, os geradores terão capacidade para produzir diariamente nove mil metros cúbicos de gás, o equivalente a 900 cilindros por dia, suficientes para abastecer 596 leitos de enfermaria e 211 de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Dez miniusinas já se encontram em funcionamento nos hospitais municipais Capela do Socorro e Sorocabana, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jabaquara, no Pronto-Socorro da Lapa e nos hospitais dia M’Boi Mirim I e II, Flávio Gianotti, Tito Lopes, Campo Limpo e Cidade Ademar.

No mês de maio, foram entregues as miniusinas para os Hospitais Dia São Mateus, no dia 21, além de Brasilândia, Vila Guilherme e Butantã, entregues respectivamente nos dias 25, 26 e 27, e que se encontram em fase de instalação. Quando uma miniusina é entregue, ela passa por um processo de implantação e início de produção que leva alguns dias.

A UPA Vila Mariana, as AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) José Pires e Sapopemba, e o Hospital Dia Lapa são os outros equipamentos de saúde no município de São Paulo que vão receber um equipamento gerador de oxigênio. A entrega destas unidades está prevista para ocorrer ainda na primeira quinzena de junho.

Usina do Hospital Dia Mooca

A miniusina entregue no Hospital Dia da Mooca é capaz de produzir 20 metros cúbicos por hora de oxigênio, sendo 480 metros cúbicos por dia. Com essa produção, consegue manter 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), produzindo 15 litros de oxigênio por minuto para cada paciente. Ela capta o oxigênio do ambiente natural, fazendo um processo de filtragem – que realiza a purificação – separando os gases nocivos e deixando somente o oxigênio puro (pureza em 93%).

Fonte: Prefeitura de São Paulo