Hospital Municipal Guarapiranga terá mais 65 leitos referenciados para Covid-19

Unidade da zona sul da capital que já realizou mais de 3.680 internações passa a contar com 259 leitos, 190 deles de terapia intensiva

DO1 Saúde | 14 de junho de 2021


Foto: Edson Hatakeyama

Primeira unidade especializada em doenças respiratórias inaugurada durante a pandemia, o Hospital Municipal Guarapiranga recebeu na sexta-feira (11), 65 novos leitos, sendo 30 de terapia intensiva (UTI) e 35 de enfermaria para tratamento exclusivo Covid-19 na cidade de São Paulo.

Participaram da entrega dos leitos o prefeito da capital, Ricardo Nunes, e o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, entre especialistas e técnicos da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da organização social parceira INTS (Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde), gestora do hospital.

O evento contou com presença do ministro de Saúde, Marcelo Queiroga, que ressaltou a importância do SUS e o trabalho reconhecido em pesquisa de opinião pública pela Saúde da capital.

Localizado na zona sul, o equipamento foi entregue em maio de 2020 pela Secretaria Municipal da Saúde e iniciou a operação em junho do mesmo ano com 30 leitos de UTI e 10 de enfermaria. No mês seguinte, sua capacidade de atendimento foi ampliada para 140 leitos de terapia intensiva e 23 de enfermaria.

Com o segundo pico da pandemia, em março de 2021, o Hospital Guarapiranga chegou a 160 leitos de UTI e 34 de enfermaria. Agora, com a entrega dos 30 leitos de terapia intensiva e 35 de enfermaria, a unidade totaliza 259 vagas, 190 delas de UTI. Os novos leitos começam a ser utilizados na próxima semana e todos serão referenciados pela Central de Regulação de Vagas do município.

O secretário Edson Aparecido destacou a importância do complexo hospitalar para o atendimento na rede pública da capital. “Por aqui já passaram cerca de 3.560 pacientes. Tivemos aqui mais de 3.000 altas. Para cá, a nossa regulação envia os pacientes mais graves da Covid-19 na cidade.”

Para a ampliação desses novos leitos, foram realizadas readequações e reestruturações de toda rede elétrica e hidráulica, instalação da rede lógica e de gases medicinais e adequação de piso. Com investimento de R$ 2,6 milhões, a obra teve início em 19 de abril e foi concluída em tempo recorde, no dia 9 de junho de 2021.

Novos hospitais
O Hospital Guarapiranga foi um dos dez hospitais entregues para a cidade de São Paulo para o enfrentamento ao coronavírus. A cidade também ganhou os hospitais municipais Brasilândia, Bela Vista, Parelheiros, Capela do Socorro, Santo Amaro, Sorocabana, Cantareira, Brigadeiro e Lygia Storopolli-Uninove, além dos dois hospitais de campanha – Pacaembu e Anhembi – e do anexo hospitalar do M’Boi Mirim.

Desde sua inauguração, já foram realizadas mais de 3.680 internações, em sua maioria de pacientes graves. No mesmo período, 2.940 altas foram contabilizadas. O HM conta com 221 colaboradores da equipe multidisciplinar e 98 médicos.

O custeio mensal da unidade corresponde um total de R$ 13.440.000, sendo R$ 6.720.000 de repasse do tesouro municipal e R$ 6.720.000 por transferência do governo federal, parceiro na obra. A gestão dos recursos é feita pela organização social sem fins lucrativos INTS (Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde), parceira da SMS.

Desde o início da pandemia, a capital garantiu que nenhum paciente ficasse desassistido, seja em suas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ou em um dos 28 hospitais municipais. A soma desses esforços resultou na ampliação de leitos: somente de UTI, a cidade passou de 507 para 1.328 no auge da pandemia.

Hoje, encontram-se em operação na rede municipal 2.557 leitos Covid, sendo 1.306 de UTI e 1.251 de enfermaria, além de outros 175 leitos contratualizados pelo município.

Fonte: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=313659&amp