Prefeitura abre 170 vagas em hotéis para idosos em situação de rua

Previsão é criar mais 400 leitos até o final do ano

DO1 Saúde | 23 de maio de 2021


Imagem Divulgação

O prefeito, Ricardo Nunes, e a secretária municipal da Assistência Social, Berenice Gianella, entregaram na manhã deste sábado (22/05), 170 novas vagas de hospedagem para idosos em situação de rua nos hotéis América do Sul, Nóbilis e Reinales Plaza, na região da Santa Ifigênia. A medida faz parte do enfrentamento da situação de emergência, em decorrência do novo coronavírus, para o público acolhido de maior risco de contágio na rede socioassistencial.

Com a finalidade de ampliar a proteção social às pessoas idosas, a contratação de mais 170 vagas – sendo 50 no América do Sul, 100 no Hotel Nóbilis e 20 no Reinales Plaza, todos na região central da cidade – garantirá condições de distanciamento social às pessoas acima de 60 anos.

O prefeito falou que até o final do ano mais 400 vagas serão criadas para os idosos, completando mil vagas. A cidade tem 2.200 idosos em situação de vulnerabilidade, sendo que mais da metade desta população é atendida pelos serviços da Prefeitura. E sua gestão vai continuar com os investimentos necessários.

Ricardo Nunes falou disse que já foram investidos neste tipo de ação desde a pandemia, até o momento R﹩ 13,6 milhões. E explicou que o atendimento de 170 vagas para os idosos representa para a Prefeitura um custo de R﹩ 530 mil por mês.

“Chegando aqui já no caminho estava pensando de todas as reuniões que fazia com o Bruno Covas. Ele tinha um sorriso angelical, mas era duro nas cobranças para atender as metas nos assuntos pertinentes à cidade de São Paulo. O Bruno tinha um olhar e atendimento especial para as pessoas que mais necessitam. Além de carinho com as pessoas em situação de rua, com os idosos, as mulheres e as crianças”, disse o prefeito Ricardo Nunes.

Ele destacou que cada ação que vê acontecer é uma homenagem à memória do Bruno Covas. “É um sentimento duplo de realização, de atender às pessoas no dia de hoje. São 170 idosos, completando 600 idosos, mas também uma satisfação pessoal de poder estar vendo que o Bruno está aqui com a gente, vendo que as pessoas estão sendo muito bem atendidas”.

O prefeito ressaltou os serviços que os idosos receberão nos hotéis como: café da manhã, almoço, café da tarde, jantar, bons quartos. “Não é só pra fazer número. É um atendimento com qualidade e acessibilidade. A gente vê no sorriso desses idosos um pouco do reflexo do sorriso e de alegria do nosso prefeito Bruno Covas”.

Centros de Acolhidas

Os idosos que estejam em condições de maior autonomia para o autocuidado serão identificados pelos técnicos dos Centros de Acolhida para Adultos e encaminhados para acomodações duplas ou individuais. A oferta de alimentação, serviços de limpeza e de manutenção do espaço serão contemplados no contrato com o estabelecimento hoteleiro, que será remunerado pela Prefeitura, R﹩ 85,00 por diária e por pessoa. O atendimento social será realizado pela equipe técnica da parceria entre a SMADS e a Organização Social Civil (OSC) Associação Evangélica Beneficente (AEB).

O contexto de pandemia e a situação de emergência exigirão recomendações técnicas adicionais, assim como foram elaboradas para os demais serviços da rede socioassistencial. Elas deverão ser produzidas antes do início da hospedagem dos conviventes e incluirão capacitações dos profissionais remanejados dos serviços e daqueles contratados pela rede hoteleira.

A previsão de 600 vagas foi alcançada pela Secretaria, somando-se as 430 já existentes. São eles: Hotel Windsor (50 vagas), Rivoli (50), Grand Barão (50), Plaza Apolo (50), Columbia (50), Downtown (50), Lugus (50), Natal (30), na região central e no Brasília Santana Gold Flat, 50 vagas na região norte.

A secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Gianella, disse que na cidade de São Paulo, como em outras partes do mundo, tem uma população que cada vez mais está envelhecendo. Observou que em 2030, a população idosa vai ser maior que a população jovem, por isso, é precisa cuidar bem dos idosos, especialmente os que estão em situação vulnerável.

“A proposta que nós acertamos com o prefeito Bruno Covas, e que tenho certeza que o prefeito Ricardo Nunes vai continuar cobrando como o Bruno também nos cobrava, é que a gente retire todos os idosos dos Centros de Acolhimento de Adultos, que todos eles vão para ou hotéis ou centros de acolhidas especiais para idosos”.

Ela afirmou que uma das finalidades de sua pasta é dar mais dignidade e respeito à população idosa que vive em situação de vulnerabilidade. Ressaltou também que os idosos se fortalecem na convivência nesses hotéis, resgatam a autoestima e os laços familiares.

“Temos várias histórias de idosos que voltaram para suas famílias. Eles e sentem mais empoderado. Tem idoso que voltou a trabalhar e volta a namorar. E eu já falei que quero ser madrinha de alguém”, brincou. A secretária finalizou dizendo que ações como esta mostram que a cidade de São Paulo efetivamente se preocupa com esta população.

Fonte: Prefeitura de São Paulo