STF julga que Moro foi parcial

Placar termina 3x2 contra ex-juiz e ex-ministro.

Na tarde desta terça-feira, dia 23 de março, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu a favor de um habeas corpus, solicitado pela defesa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que pedia a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, responsável pela sentença, em primeira instância contra ele.

A suspeição é uma figura jurídica invocada quando existe a dúvida se a neutralidade e/ou a imparcialidade do juiz está comprometida. Fato que comprometeria todo o processo e impediria o acesso do réu a um julgamento justo.

O julgamento que foi paralisado após pedido de vistas do ministro Kássio Nunes, retomou hoje com o voto do mesmo contra a solicitação de Lula. Porém, Carmen Lúcia, ministra que já havia votado contra a solicitação do ex-presidente em 2018, mudou seu voto e decretou a vitória do pedido da defesa.

Em sua justificativa para a mudança, Carmen Lúcia disse que “juiz que é favorável a um é desfavorável a outro”.