Masculinidade positiva em pauta


Foto: Bigstock


Por Homem Nota 1000 em 23 de março de 2021


O enfrentamento à violência contra a mulher passa necessariamente por medidas socioeducativas direcionadas ao público masculino. Em uma sociedade culturalmente machista, acolher e expressar sentimentos, reconhecer fragilidades ainda são questões consideradas possíveis apenas no universo feminino, seriam “coisas de mulher”.

Homem que é homem, não chora! Quem já não ouviu essa frase afirmativa tradicional?

Há alguns anos, vem ganhando espaço em vários ambientes reflexões sobre “Masculinidade Positiva”, como um caminho para a desconstrução dos estigmas arraigados por essa masculinidade tóxica advinda do machismo estrutural.

Para contribuir com esse debate, o Grupo Mulheres do Brasil, por meio do seu Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, em parceria com a Unibes Cultural, realiza nesta quinta-feira, dia 25 de março, a partir das 18h30, um bate papo sobre Masculinidade Positiva, comandado pelo ator e apresentador Fábio Porchat. Serão três rodas de conversa com pais, filhos e especialistas que abordarão a temática.

Segundo Gisele Agnelli e Elizabete Scheibmayr, líderes do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, é importante ‘escutar’ os homens sobre as pautas de gênero. “O objetivo do evento é trazer temas importantes e vivos nos debates atuais, como violência de gênero, machismo e masculinidade de uma forma descontraída, sincera e, principalmente, ouvir como os homens se posicionam sobre essas questões”, explicam as líderes.

Entre os participantes estão Marco Antônio Di Pietro, empreendedor social e ativista do Movimento Negro; Renan Dal Zotto, técnico de voleibol e empresário; Carlos Kuada, veterinário e executivo; Ed Cortes, compositor e produtor cultural; e Gustavo Glasser, empreendedor social.

Os estudantes Nicolas O. César Rodrigues, Lucas de Vasconcelos Segantin, Flávio Silva de Farias Jr, Nicolas Scheibmayr e o ator e roteirista João Cortes participarão de uma das rodas de conversa, lançando um olhar jovem sobre o tema.

“Entendemos que falar sobre masculinidade é um dos caminhos educativos e de sensibilização necessários para atingir, em médio prazo, um maior nível de conscientização que levará à diminuição dos índices de violência contra as mulheres”, ressaltam Silvia Ferreira e Juliana Arida, também integrantes do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher e coorganizadoras do evento.

O combate à violência contra as mulheres é uma das causas prioritárias e metas globais do Grupo Mulheres do Brasil. “Estamos fortemente empenhadas em diminuir os índices de violência contra a mulher em âmbito global. Por isso atuamos por meio de ações de conscientização como esse importante debate que estamos realizando, e também influenciando políticas públicas nacionais que contemplem essa temática”, conclui Marisa César, CEO do Grupo Mulheres do Brasil.

O evento ocorrerá em formato online, pelos canais do Youtube e Facebook da Unibes Cultural e Grupo Mulheres do Brasil.

Links de acesso:

https://youtu.be/7uJwglYrzdY

https://www.facebook.com/grupomulheresdobrasiloficial

Fonte: àsClaras Comunicação