Maio Laranja - Contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes

EMTU participa de campanha do TJSP pelo enfrentamento da violência contra mulher

Cartazes e mensagens foram inseridas nas redes sociais, no VLT, nos ônibus e terminais metropolitanos.


Imagem: Divulgação


Por Mulher Cidadã em 11 de março de 2021


No Estado de São Paulo, o número de medidas protetivas concedidas pela Justiça para vítimas de violência doméstica tem crescido nos últimos anos. De 2018 para 2020, houve um aumento de 73% (tabela abaixo) – um dado triste, que revela o quanto a violência de gênero permeia nossa sociedade. Mas, por outro lado, há um aspecto positivo – significa que cada vez mais mulheres se encorajam a pedir ajuda e romper o ciclo da violência.

Esse é o foco da nova campanha do Tribunal de Justiça de São Paulo – #Rompa -, lançada no Dia Internacional da Mulher (8/3) para estimular que as vítimas denunciem e procurem apoio para romper relacionamentos abusivos. Afinal, diminuir a subnotificação de casos é fundamental, uma vez que o Brasil é o 5º país no qual mais se mata mulheres no mundo (de acordo com a ONU).

A EMTU apóia por mais um ano essa importante campanha, inserindo cartazes e mensagens nas redes sociais, no Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), nos ônibus e terminais metropolitanos. São 3500 ônibus circulando em todas as regiões metropolitanas de São Paulo com a mensagem da campanha. Além dos 264 monitores dos 22 VLTs na Baixada Santista.

Muitas das vezes, relacionamentos abusivos começam com algumas atitudes encaradas como “excesso de amor”. É preciso atenção porque o controle, o ciúme e os xingamentos podem ser a primeira etapa do chamado ciclo da violência, que é uma alternância – uma fase de paixão, de namoro, seguida de uma agressão; um pedido de perdão, uma reconquista e uma nova violência, inclusive física. Em casos graves, pode-se chegar ao feminicídio.

Fonte: Imprensa EMTU

Publicidade