Como funciona o protocolo vacinal de cães e gatos?

Por PET é Carinho


Pais e mães de pets devem estar sempre atentos aos cuidados de seus amados animais de estimação. Eles são como membros da família e merecem toda a atenção e carinho, isso inclui os cuidados com a saúde e bem-estar dos pets. Por isso, os tutores precisam dar importância ao calendário vacinal para que a saúde e o bem-estar do pet estejam sob controle.

A proteção dos pets é feita por meio da vacinação, independente do fato do animal ter ou não acesso à rua ou se convive com outros animais. No Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existe uma grande quantidade de cães (54,2 milhões) e gatos (23,9 milhões) nos lares. Com isso, o país é considerado o segundo no mundo, na quantidade de animais de estimação.

“O protocolo vacinal dos pets é um assunto muito sério e não pode ser deixado de lado. Ter a carteirinha de vacinação em dia é indispensável, pois esse controle pode evitar que o animal fique doente, e até mesmo que transmita outros vírus e bactérias para seus tutores”, declara a médica veterinária Thais Matos, especialista da área de Confiança & Segurança da DogHero , maior empresa de prestação de serviços para animais de estimação da América Latina.

De acordo com a especialista, se o cachorro é filhote, o protocolo de vacinação sugerido para o pet deve ser o seguinte:

45 dias de vida: aplicação da vacina V8 ou V10;

66 dias de vida: segunda dose da V8 ou V10 e ainda a vacina da gripe;

87 dias de vida: terceira dose da V8 ou V10 e ainda a aplicação da primeira dose da vacina contra a giárdia e da gripe;

108 dias de vida: segunda dose da vacina contra a giárdia e ainda a aplicação da antirrábica.

A partir dos 120 dias de vida: primeira dose de leishmaniose, se morar ou frequentar áreas endêmicas. Após um ano das últimas doses de cada uma das vacinas, é indicado o reforço anual. Nos casos de leishmaniose, deve-se considerar a data da primeira dose.

Se o gato for filhote, de acordo com veterinária, o protocolo de vacinação sugerido para o pet deve ser o seguinte:

60 dias de vida: aplicação da primeira dose da vacina quádrupla (V4);

90 dias de vida: segunda dose da quádrupla (V4);

A partir dos 120 dias de vida: Terceira dose da quádrupla (V4) e aplicação da vacina contra a raiva (após um ano desta data, é indicada a revacinação).

A indicação de um médico veterinário de confiança é indispensável, somente o especialista poderá recomendar as doses ideais para o pet, de acordo com a carteirinha de vacinação.

É importante lembrar que muitos agentes infecciosos podem entrar na casa de diversas maneiras, muitos deles trazidos com os próprios tutores e familiares em roupas e demais objetos. Sabendo disso, se os pets não estiverem protegidos, grandes problemas podem surgir. O e-book com o protocolo vacinal de cães e gatos pode ser baixado gratuitamente na página exclusiva .

Vantagens da vacinação em domicílio – Diante dos desafios atuais, muitos tutores podem se beneficiar das vantagens do serviço de veterinário em domicílio, disponível em algumas localidades. Um dos benefícios é o fato de manter a vacinação do pet em dia, sem sair de casa, com o atendimento do profissional médico veterinário.

Muitos pets costumam ficar enjoados durante o trajeto até a clínica ou hospital, por não estarem tão habituados com as idas e vindas dentro de um carro. Os felinos, por exemplo, costumam ficar mais agitados e ariscos nessas situações e, às vezes, ficam estressados, não só quando estão na clínica, mas também durante todo o trajeto.

Na vacinação em domicílio , o atendimento veterinário garante uma maior probabilidade de seu pet ficar menos estressado, além de evitar que se sinta enjoado e agitado, pois ele estará no conforto do seu lar.

Durante a vacinação, o profissional pode tanto atender seu pet com aquilo que ele precisa, como também dar dicas de como melhorar o ambiente em que ele vive, com o objetivo de evitar acidentes, caso perceba algo a ser otimizado. Com isso, o tutor pode manter sua rotina, sem sair de casa, e ainda cuidar do bem-estar do seu animal de estimação.

Fonte: Fala Criativa