Tóquio 2020 2021

Tóquio 2020 / Noticias / Trecho de revezamento da tocha olímpica em Osaka é cancelado devido ao aumento de casos de COVID-19

Trecho de revezamento da tocha olímpica em Osaka é cancelado devido ao aumento de casos de COVID-19

Por Tóquio 2020+1

Em 1 de abril de 2021

O primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga cancelou a etapa de revezamento da tocha olímpica em Osaka, já que o governo do país pretende impor novas restrições para conter o aumento dos casos de coronavírus. A chama olímpica começou sua jornada de 121 dias pelo Japão em 25 de março e estava programada para passar 

por Osaka nos dias 13 e 14 de abril. Mas Suga agora decidiu cancelar o evento em meio a preocupações com um aumento nas infecções por COVID-19, de acordo com a Reuters. A decisão de Suga veio depois que o governador de Osaka, Hirofumi Yoshimura, pediu que o evento fosse cancelado na cidade. “Eu pessoalmente acho que o revezamento da tocha na cidade de Osaka deveria ser cancelado”, disse Yoshimura em um relatório da Reuters. “Gostaríamos de iniciar discussões com a cidade de Osaka e Tóquio 2020.” Yoshimura também pediu ao governo do país que implemente medidas antivírus de emergência em Osaka por três semanas.

Segundo relatos, o governo japonês está prestes a impor novas restrições em Osaka, Hyogo e Miyagi de 5 de abril a 5 de maio. Uma força-tarefa, liderada por Suga, deve aprovar as medidas hoje. De acordo com as restrições, as pessoas serão orientadas a trabalhar em casa e as empresas serão obrigadas a reduzir o horário de expediente ou enfrentar multas.

A medida ocorre depois que Osaka registrou 599 novas infecções ontem – apenas 55 casos atrás do recorde da prefeitura estabelecido no início de janeiro.

Osaka e Tóquio – que deve sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos reprogramados deste ano – estavam entre várias áreas do Japão que foram colocadas em estado de emergência no início do ano em uma tentativa de reduzir a disseminação do coronavírus. As restrições foram abrandadas no mês passado, mas agora há temores de uma nova onda da pandemia. “Em Osaka, em particular, o número de indivíduos infectados entre 20 e 30 anos está aumentando à medida que as pessoas continuam saindo à noite”, disse o secretário-chefe do gabinete, Katsunobu Katō, em um relatório da Reuters. “Relatos de cepas mutantes também estão aumentando e o contágio deve continuar.”

O presidente do Tóquio 2020, Seiko Hashimoto, afirmou recentemente que a chama olímpica “se tornaria uma luz brilhante de esperança para os cidadãos japoneses” após iniciar sua jornada em Fukushima. Espera-se que cerca de 10.000 corredores carreguem a Tocha pelas 47 prefeituras do Japão ao longo de 121 dias, com as Olimpíadas programadas para começar em 23 de julho.

De acordo com um dossiê de segurança divulgado por Tóquio 2020 no final de fevereiro, os organizadores admitiram que o revezamento da tocha poderia ser suspenso “se houver alguma preocupação de que uma infecção possa ocorrer ou ter ocorrido, deve-se considerar se deve adiar o revezamento da tocha olímpica para o dia seguinte ou mais tarde “. “É muito lamentável, mas o revezamento da tocha deveria ser cancelado”, disse o prefeito de Osaka Ichirō Matsui ao Nikkei.

Fonte: https://www.insidethegames.biz/articles/1106118/calls-to-cancel-olympic-torch-relay-leg