Junho Laranja - Com fogo não se brinca

Deputados aprovam legalização do aborto na Argentina

O projeto de lei, que permite o aborto até a 14ª semana de gestação, recebeu 131 votos a favor, 117 contrários e seis abstenções. Medida segue para o Senado



Por Mulher Cidadã em 11 de dezembro de 2020


Câmara dos Deputados aprovou nesta sexta-feira (11) a legalização do aborto na Argentina, mas o projeto de lei ainda deve ser enviado ao Senado, Casa que rejeitou uma iniciativa similar há dois anos.

A aprovação foi recebida com alegria por milhares de jovens com lenços verdes, símbolo da campanha a favor da legalização do aborto. A multidão passou a noite diante do Congresso, em Buenos Aires, à espera da votação neste país de maioria católica e berço do papa Francisco.

O projeto de lei, que permitirá o aborto até a 14ª semana de gestação, recebeu 131 votos a favor, 117 contrários e seis abstenções, anunciou a secretaria da Câmara dos Deputados após uma sessão de 20 horas.

A expectativa é que o Senado examine o texto até o fim do ano.

A legalização do aborto foi discutida pela primeira vez no Parlamento argentino em 2018, durante o governo do liberal Mauricio Macri (2015-19), quando foi aprovada pelos deputados, mas rejeitada no Senado em meio a grandes manifestações de mulheres.

Este ano, a iniciativa de Interrupção Voluntária da Gravidez (IVE) foi apresentada pelo presidente de centro-esquerda Alberto Fernández como um modo de “garantir que todas as mulheres tenham acesso ao direito à saúde integral”.

“O aborto é legal em países de primeiro mundo e outros desenvolvidos e com forte religiosidade, como Itália, Espanha e Irlanda. Agora avançamos na Argentina. Se isto fosse um problema masculino, teria sido resolvido há muito tempo”, declarou o ministro da Saúde, Ginés González García.

Fonte: Revisa Exame