A agonia de um ex-recordista mundial

Postado por Viva Melhor em 19/nov/2018


Todo atleta sonha com a glória de uma medalha olímpica e um recorde mundial, mas alguns dos que chegam a este patamar, muitas vezes não conseguem repetir os seus grandes desempenhos.

Dennis Kimetto, um corredor queniano que não teve grande passagem nas provas de pista e surgiu para o mundo aos 28 anos quando quebrou a marca dos 25k na Big 25 Berlim. No mesmo ano, estreio na maratona na mesma cidade e foi o segundo colocado com a marca de 2h04min16, a melhor marca para um estreante até o momento.

Durante 2013 Kimetto continuou a progredir e se firmar como um dos grandes nomes das distância, ao vencer a Maratona de Tóquio em fevereiro e a Martona de Chicago em outubro. Na prova em solo norte-americano, Kimetto fez a marca de 2h03min45, a melhor já registrada no país e a quarta melhor de todos so tempos na época.

O queniano já era um atleta consagrado em 2014, mas a cereja do bolo veio com a vitória na Maratona de Berlim e o novo recorde mundial. Kimetto se tornou o primeiro homem a correr abaixo da marca de 2h03min e marcou 2h02min57 nas ruas da cidade alemã.

2015 foi quando tivemos a última atuação “decente” de Kimetto, ele foi 3º colocado na Maratona de Londres com 2h05min50 e desde então sua carreira não foi a mesma.

Nas 7 provas que o queniano participou desde então, foram 5 abandonos e duas marcas que o colocaram longe dos bons tempos: 2h11min44 para a 9ª clocação em Londres 2016 e 2h14min55 para a 10ª colocação em Shangai 2018.

O que será que aconteceu com Dennis Kimetto?